Aprenda a organizar a empresa MEI para o novo ano

A importância do empreendedorismo feminino na economia e na vida
28 de novembro de 2022
Saiba como vender mais para aumentar o faturamento da sua empresa
16 de janeiro de 2023

Para todos os negócios, o início do ano significa um período com custos extras e obrigações fiscais, além de possíveis oscilações nas vendas. Por isso, saber como organizar a empresa MEI para o novo ano é essencial para o microempreendedor e essa tarefa deve começar bem antes do réveillon. Afinal, a virada do ano exige um bom planejamento para lidar com as despesas que ela traz, além de realizar as definições de metas para o novo ciclo e fazer a projeção de vendas.

De toda forma, para o MEI, os impostos são cobrados de forma simplificada, bastando apenas enviar uma declaração anual de rendimentos, o que deixa o cenário bem mais tranquilo. No entanto, como a empresa acaba se misturando com a vida pessoal do microempreendedor individual, existem várias questões que precisam ser pensadas com antecedência.

Quais as preocupações da empresa MEI na virada de ano?

Existem duas principais preocupações específicas para o microempreendedor individual. Veja mais sobre elas:

Fechamento do relatório de receitas

Embora quem seja MEI não necessite de uma contabilidade formal, é preciso que haja o registro mensal do total das receitas. Este controle pode ser feito por meio de um relatório mensal de receitas brutas ou por uma planilha de controle financeiro. O valor final servirá como base para o preenchimento da Declaração Anual MEI (DASN SIMEI), que deve ser entregue até o dia 31 de maio de cada ano.

Em resumo, essa declaração contém o total do faturamento no ano anterior e é uma das principais obrigações fiscais do MEI.

Pagamento de contas

Embora o MEI não tenha que pagar nenhum tributo adicional da empresa no início de ano, ele precisa arcar com seus custos extras de pessoa física. Estes custos envolvem o Imposto Sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), Imposto sobre Veículos Automotores (IPVA), matrícula e material escolar para quem tem filhos e a renovação anual dos seguros.

Além disso, é comum que as pessoas utilizem os cartões de crédito para comprar os presentes de Natal em dezembro e começam o novo ano pagando parcelas. Por isso, é importante estar preparado para esses gastos adicionais que sairão do faturamento da empresa, se o MEI for sua única fonte de renda.

Como a empresa MEI faz para tirar férias?

Ninguém é de ferro e todos merecem descanso. Portanto, além das contas extras e questões burocráticas, o microempreendedor individual que deseja tirar férias deve se preocupar em realizar um planejamento financeiro para isso também.

Não é fácil tirar férias sendo autônomo, pois cada dia não trabalhado significa dinheiro a menos no caixa e não existem férias remuneradas. Portanto, para conseguir o tão sonhado tempo de descanso, é preciso se planejar muito bem para cobrir os custos dos dias que você ficará sem trabalhar.

A dica é investir em ações de vendas no fim do ano e guardar uma parte do faturamento extra para bancar suas férias e os boletos que continuarão chegando de qualquer forma.

Afinal, como posso organizar a empresa MEI para o próximo ano?

Já falamos sobre as principais preocupações e como o microempreendedor individual pode tirar férias, mas se você quer aprender como organizar a empresa MEI para começar o ano com tudo, precisa focar nos seus compromissos financeiros. Veja cinco formas de fazer isso:

1. Comece pelo seu balanço de fim de ano

Antes de ir para frente, olhe para trás. Ou seja, para fazer seu planejamento financeiro para o próximo ano, você precisa começar pelo diagnóstico do ano atual. Se você chegou até aqui já sabe que deve entregar declaração com o total do faturamento até o final de maio de cada ano, mas também é preciso contabilizar os custos a fim de descobrir quanto realmente lucrou no período. Após isso, você conseguirá deduzir os gastos dos seus ganhos e saberá o valor que efetivamente foi para o seu bolso.

Esse balanço é importante para identificar se o negócio foi realmente lucrativo e se você precisa investir mais na saúde financeira para o próximo ano.

2. Prepare uma projeção de vendas

Esta é outra etapa fundamental para que você consiga honrar com seus compromissos financeiros no próximo ano. Afinal, você precisa saber qual a média de vendas do período para se preparar para as despesas que virão.

É importante lembrar que alguns segmentos possuem uma baixa de vendas significativa nos meses de janeiro e fevereiro, enquanto outros podem ter resultados melhores. Em geral, os primeiros meses são mais fracos para comércio e serviços, exigindo um planejamento prévio para lidar com o faturamento menor.

Por isso, com a projeção de vendas baseada nos resultados obtidos no ano atual, você terá uma ideia da situação financeira que poderá encontrar no início do novo ano e preparar o caixa para qualquer cenário.

3. Utilize parte das vendas de fim de ano para uma reserva

Normalmente, o fim do ano vem acompanhado por um aumento no fluxo de vendas. Por isso, esse é o momento ideal para formar uma reserva financeira para o início do próximo ano. Use esta época para explorar promoções, descontos e outras estratégias de marketing para aumentar as vendas e aproveitar os meses mais lucrativos para as empresas. Se prepare com antecedência para alavancar os resultados na Black Friday e também nas vendas de Natal e Ano Novo.

Leia também: Aprenda como preparar a empresa para o Natal

4. Inicie o próximo ano com capital de giro

O capital de giro é necessário para cobrir os custos da empresa até o recebimento das vendas, garantindo que o negócio continue funcionando e não fique no vermelho. Faça bom proveito da dica anterior e comece 2023 com um bom capital de giro em caixa.

5. Contabilize as dívidas e investimentos

Este é outro passo importante para todo microempreendedor individual na hora de organizar a empresa MEI para o começo do ano. Sabemos que nem sempre é possível iniciar o novo ano do zero nas finanças e que muitas vezes sobram parcelas e prestações para pagar ou investimentos pendentes.

Para isso, registre todas as dívidas no seu controle financeiro do novo ano e programe os melhores períodos para comprar um equipamento, aumentar o espaço físico, contratar mais pessoas, entre outros investimentos necessários para crescer. Se precisar de um empurrãozinho, conte com o Microcrédito do Banco do Vale! São R$ 200 até R$ 20 mil, parcelados em até 24x para você adquirir materiais, investir em capital de giro e muito mais!

Não se esqueça das metas

Agora que você sabe como organizar a empresa MEI para o novo ano, é importante definir objetivos para continuar crescendo e ter sucesso em 2023. Uma forma de fazer isso é definindo metas de crescimento de faturamento e número de clientes, ou mesmo aumento de ticket médio, dependendo do seu negócio.

Além disso, você também pode ter como objetivo transformar o MEI para ME. Ou seja, quando você ultrapassar o limite de faturamento anual da MEI (R$ 81 mil em 2022) será automaticamente transferido para a categoria de microempresa (ME).

Os objetivos vão depender do seu tipo de negócio, mas o propósito é um só: organizar sua empresa para crescer ainda mais no novo ano e alcançar o sucesso.

Sempre que você precisar de uma ajuda, pode contar com o Banco do Vale! Entre em contato conosco e solicite seu crédito!

Confira também: Tudo o que você precisa saber para montar um plano de negócios sólido