Banco do Vale: capital de giro e artesanato feito com amor

Microcrédito é Desenvolvimento
24 de abril de 2018
microempreendedor individual
Conheça as novas regras para MEI
22 de maio de 2018

Há aproximadamente um ano Adimar e Evany Butzke procuraram o Banco do Vale em busca de crédito para injetar em seu negócio. O amor pelo artesanato nasceu há mais de 20 anos e aos poucos o “Coisas da Oma”, foi expandindo e se profissionalizando. O nome surgiu da forma como os netos chamavam as artes da avó.

Natural do município de Timbó, o casal conheceu o Banco do Vale através de uma palestra que a instituição fez na Semana do Microempreendedor Individual (MEI). O interesse partiu da necessidade de capital de giro para o negócio. Desde então, seguem clientes satisfeitos e já na busca do segundo empréstimo.

Amor pelo artesanato

Além da fonte de renda muito bem-vinda, o casal afirma que a produção é uma forma de mantê-los dispostos e ativos. “Depois de duas décadas o que nos motiva é o amor pelo que fazemos”, refletem.

A delicada pintura bauer virou a preferida da artista e um dos motivos para isso é a sua versatilidade. É possível aplicar o método em diversos materiais: vidro, madeira, aço e até sabonete. “Recebo muitas encomendas. Há todo um processo de reestruturação de peças. Na hora de aplicar o pincel, primeiro é feito um delicado e fino contorno a lápis, para então começar a contornar com a tinta”, detalha. O nome Bauernmalarei significa pintura camponesa, essa pintura teve origem na Áustria.

O companheiro de cinco décadas de Evany, Adimar Butzke, também exibe criações resistentes e ao mesmo tempo delicadas. O trabalho do casal é feito em parceria e com orgulho contam sobre a grande procura pelo artesanato que criam. Eles produzem itens temáticos em datas comemorativas, como Páscoa e Natal, e peças de decoração que são, ao mesmo tempo, úteis à rotina e podem ser expostas durante o ano todo.

Se você também quer investir em seu pequeno empreendimento, o Banco do Vale tem o crédito certo para você!