Como cortar gastos em tempos de crise

5 Passos para proteger funcionários da Covid-19
5 de junho de 2020
5 Formas de fidelizar clientes na crise
6 de julho de 2020

A economia do Brasil mal começou a sua recuperação para enfrentar um novo período de turbulência, provocado principalmente pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e impasses políticos. Cortar gastos em tempos de crise é uma medida não apenas recomendada, mas necessária para a sobrevivência do negócio e a manutenção de empregos.

Neste post listamos cinco formas de cortar estes gastos para que a sua empresa possa ter uma reserva de capital significativa e se manter na ativa mesmo em tempos turbulentos. Confira:

1. Reavalie produtos e estoque

Avalie o que tem vendido mais e quais produtos costumam ficar encalhados. Este levantamento é importante para entender o que está gerando receita para o seu negócio e o que está apenas ocupando espaço nas prateleiras. Em momentos de crise, os clientes costumam comprar apenas o essencial e entender isso pode ser o que vai manter o seu negócio saudável.

Se você trabalha com serviços, considere o custo/benefício do que você oferece. Por exemplo, um serviço que envolva uma alta demanda de trabalho, de tempo e de colaboradores e que não traga tanta rentabilidade para o negócio precisa ser reavaliado, seja na precificação ou na viabilidade de continuar oferecendo. Trabalhe com o que verdadeiramente dá lucro.

2. Renegocie dívidas

Caso você tenha pendências deste tipo, entre em contato com os credores para renegociar as dívidas. Seja para o abatimento de juros, extensão de prazos ou quitação com descontos significativos, muitos empresários estão abertos ao diálogo para evitarem o calote e também porque têm interesse na saúde do seu negócio para não correr o risco de perder um cliente. Fazer isso agora é evitar um problema maior lá na frente.

3. Reavalie suas contas em banco

Quantas contas de banco você utiliza no seu negócio? Todas elas são realmente necessárias? Faça um levantamento de todas as taxas que você está pagando somente para manter estas taxas. O ideal é ficar com apenas uma ou duas contas em bancos mais econômicos e que atendam todas as necessidades do seu negócio, como pagamentos de impostos, de fornecedores e de colaboradores.

Se a sua empresa precisar manter a conta em um banco que cobra taxas excessivas, converse com o seu gerente para ver de que forma isso pode ser aliviado. Sozinhas estas cobranças podem parecer pequenas, mas quando somadas no final do mês elas fazem uma diferença gritante.

4. Repense seus investimentos

Você tinha algum investimento em mente no seu negócio? Repense se ele é realmente necessário neste momento ou se pode esperar mais um pouco, principalmente se for o tipo de investimento que não trará um retorno concreto no curto ou médio prazo.

O momento pede que o negócio tenha reservas financeiras e adiar um investimento pode ajudar neste sentido. Claro que há as urgências e investimentos necessários para que o negócio continue funcionando, como exigências legais. Estas devem ser feitas, mas de forma consciente e prezando pela saúde da sua empresa.

5. Aproveite as condições e linhas de crédito especiais

Como medida para reduzir os impactos financeiros, o poder público permitiu algumas medidas para a manutenção de empregos e a adoção de linhas de crédito especiais para que pequenos negócios continuem funcionando. Se você precisa de ajuda para capital de giro ou investimentos necessários no seu negócio, o Banco do Vale possui uma linha de Microcrédito ideal para empreendedores, autônomos e pessoas que possuem uma fonte de renda extra, com baixas taxas de juros e condições especiais de pagamento. Conheça o Microcrédito Banco do Vale.

Leia também: 5 Passos para reorganizar as dívidas