Como os diferentes tipos de planejamento financeiro ajudam a deixar as contas em dia

Banco do Vale ajuda clientes de Rodeio a realizarem sonho
20 de agosto de 2020
Empreender em casa: Vantagens e desvantagens do home office
10 de setembro de 2020

Quando o assunto é finanças é um consenso que é melhor prevenir do que remediar. Mas o que nem todos se atentam é que existem diferentes tipos de planejamento financeiro e todos eles devem ser levados a sério para conseguir equilíbrio nas contas. Neste post, vamos apresentar os três principais tipos e apresentar dicas para cuidar de cada um deles.

Em primeiro lugar, vamos relembrar o que é planejamento financeiro. Como o nome já diz, trata-se de uma preparação, uma atitude preventiva em temas relacionados a finanças. O objetivo do planejamento financeiro é organizar e lidar com o dinheiro para que haja estabilidade financeira. Desta forma, é possível atingir objetivos que envolvam o investimento deste dinheiro.

Porém, para ser efetivo, o planejamento financeiro deve abranger todos os aspectos da sua vida. Ele pode ser individual ou coletivo, atingindo pessoas físicas e jurídicas. Se você mora sozinho, atentar-se ao planejamento financeiro pessoal é suficiente. Se você mora com um cônjuge e/ou tem filhos, também é preciso estar atento ao planejamento financeiro familiar. Para os empreendedores, é importante cuidar ainda do planejamento financeiro empresarial. Acompanhe os detalhes de cada um:

Planejamento financeiro pessoal

Este tipo de planejamento costuma e deveria ser o primeiro deles a fazer parte das nossas vidas. Aliás, ele pode e deve ser incentivado desde cedo, começando esta educação com as crianças. Pense: a partir do momento que uma criança recebe sua primeira mesada ou presente em espécie é importante orientá-la sobre a importância de cuidar bem deste dinheiro e de utilizá-lo de forma consciente. Com dicas de fácil assimilação já é possível instruí-la quanto à importância do planejamento financeiro.

As finanças pessoais são, na teoria, as mais fáceis de controlar, pois elas dependem de apenas uma variável: você. É você quem sabe o quanto recebe e o quanto precisa gastar e, embora gastos inesperados possam ocorrer, eles podem ser previstos e controlados com um pouco mais de facilidade.

Para começar a organizar as finanças e trabalhar com planejamento, coloque na ponta do lápis as suas receitas e despesas. Crie uma planilha e registre lá o quanto você recebe e o quanto gasta com contas, mensalidade e até mesmo com despesas do dia a dia. É importante anotar absolutamente tudo, pois geralmente os gastos corriqueiros, com valores baixos, muitas vezes são os grandes sabotadores das suas finanças no final do mês.

Se você tiver algum tipo de dívida ou financiamento com juros, é importante anotá-los também, para se ter ideia da economia que poderia ser feita com parcelamentos mais curtos. Entender o impacto dos juros e como evitar taxas altas é fundamental para cuidar das finanças no longo prazo e saber onde é possível economizar.

Para dar propósito ao seu planejamento financeiro, coloque na planilha os seus objetivos pessoais e os valores necessários para alcançá-los: pode ser uma casa, um carro, um curso ou uma viagem, por exemplo. Com estes valores em mãos, veja na sua planilha o quanto é possível guardar por mês para bancar o seu objetivo e quanto tempo será necessário para isso.

Planejamento financeiro familiar

Diferentemente do planejamento pessoal, as finanças familiares envolvem outras pessoas, ou seja, outras variáveis. Pode haver mais de uma pessoa ajudando a trazer dinheiro para dentro de casa, mas isso também significa que há mais despesas – principalmente para quem ainda tem filhos pequenos ou que não trabalham.

Isso torna o planejamento familiar um pouco mais delicado, no entanto, ele se torna ainda mais importante. Nem sempre o objetivo do planejamento financeiro familiar envolve alguma meta, como um sonho a ser realizado. Na maioria dos casos ele é necessário simplesmente para manter as contas da casa em dia.

Um dos principais motivos de endividamento de famílias é justamente não ter muito claros todos os gastos. Elas se concentram mais nas despesas fixas, como contas de luz, mensalidades, compras de supermercado, mas se esquecem daquelas despesas corriqueiras, que aos poucos consomem o orçamento familiar.

O princípio do controle para que este planejamento seja possível é o mesmo do pessoal: montar uma planilha com todas as receitas e despesas. A diferença é que aqui existirão ainda mais variáveis. O ideal é, além de elencar todas as despesas, também as atribuir a cada membro da família, para analisar se todos estão gastando realmente o necessário.

Planejamento financeiro empresarial

Nem todas as pessoas precisarão de um planejamento deste tipo, mas todos os empreendedores ou aqueles que têm planos de empreender precisam segui-lo minuciosamente. Sim, antes mesmo de começar o seu negócio próprio é preciso estar atento ao planejamento financeiro dele e incluí-lo no plano de negócios.

Feito isso, o planejamento financeiro deverá acompanhar o negócio ao longo de toda a sua existência. Ele é importante tanto para manter o dinheiro no caixa como para fazer investimentos necessários e expansões necessárias para o crescimento da empresa.

Aqui há ainda mais variáveis do que em um planejamento familiar. A receita é muito mais variável e vem de cada venda fechada. Além disso, as despesas são muito mais complexas, envolvendo as contas mensais habituais, além de salários, encargos e benefícios de funcionários, compra de mercadorias ou insumos, pagamentos de tributos, entre outras.

Este equilíbrio financeiro é fundamental principalmente pelo fato de que, a partir do momento e que se tem um negócio que contrata outras pessoas, a responsabilidade não é apenas com as próprias finanças ou com o funcionamento da empresa, mas sim, com o rendimento de outras famílias. Por isso é tão importante cuidar bem deste aspecto.

Conte com o Banco do Vale para organizar as finanças da sua empresa e trabalhar com um planejamento financeiro organizado. Contamos com microcrédito produtivo e orientado, voltado a pequenos negócios.

Leia também: 5 Passos para reorganizar as dívidas